quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

PT 30 anos








Por Sidnei Santos


Há 30 anos, o Partido dos Trabalhadores (PT) nasceu com um objetivo muito ousado: mudar a sociedade brasileira. A missão de romper com práticas habituais que beneficiavam poucos e só aumentavam a grande desigualdade social seria uma tarefa árdua.

Fundado em 10 de fevereiro de 1980, o PT faz hoje trinta anos de uma história marcada por muitas lutas em favor dos trabalhadores do Brasil e do mundo.

Mas não só de trabalhadores é construído o PT: estudantes, desempregados, negros, mulheres, índios, sem terras, sem tetos, empresários, professores, movimentos religiosos e muitos outros setores de toda a sociedade brasileira ingressaram no Partido acreditando que ali estava um movimento diferente, um partido que saberia tratar com muita tranqüilidade a pluralidade que existe entre suas centenas de milhares de filiados e filiadas.

Quando se iniciaram os anos 1980, a sociedade civil brasileira contava com um novo padrão organizacional, com uma densidade política diferenciada e com uma disposição militante de caráter autônomo. Nesse sentido, a fundação do Partido dos Trabalhadores, de certa forma uma espécie de efeito indesejado da reforma partidária de 1979, significou a construção de uma instituição representativa para a qual convergiram esses novos movimentos populares e sindicais e para a qual se agregaram intelectuais e militantes cristãos, numa tentativa de oferecer um canal partidário institucional.

Foram, sobretudo, esses setores previamente mobilizados em movimentos, sindicatos, organizações de classe média, comunidades de base da Igreja Católica e no PT que responderam de modo organizado e sistemático à palavra de ordem “Diretas Já!”.

Esta foi a primeira grande batalhada travada pelo PT pela democracia no país.

E o PT e outros aliados que caminhavam juntos com desafio de inverter a ordem das prioridades tinham a convicção de que, só um país com bases democráticas poderia propiciar tais acontecimentos.

E assim, o Partido foi criando densidade por todo país. Em 1982, houve a primeira grande disputa eleitoral, em que o então operário do setor metalúrgico, Luiz Inácio Lula da Silva, candidatou-se para o governo do Estado de São Paulo. O êxito foi despontar como uma alternativa no cenário político e, em 1986, foi eleito deputado federal constituinte, com a maior votação até então da história com cerca de 650 mil votos.

Em 1989, o PT com Lula como candidato da Presidente chega muito perto de governar o Brasil, perdendo no segundo turno na eleição para um candidato oculto em sua verdadeira intenção e pouco tempo de governo depois com o mandato cassado, após grande pressão popular, principalmente dos estudantes, intitulado de movimento “caras pintadas”. Foi o fim de um governo extremamente desconectado do anseio popular.

Mesmo sem ter o comando nacional, o PT demonstra em seus governos estaduais e em diversas prefeituras, sua forma de administrar com o foco voltado para a população.

A política orquestrada pelo presidente Lula, e seguida pelos administradores nos municípios governador pelo PT, mostraram quais são suas prioridades: a área social, a educação voltada para a criança e o adolescente, o desenvolvimento local, o rigor na administração pública. Com a atração de novas universidades e a realização das obras de infra-estrutura do Parque Tecnológico, consolidou-se a vocação inovadora do município, firmando Londrina entre os pólos científicos e tecnológicos do país. 

E desta forma o PT conquista vitórias por todo o país.

Mas não só no campo institucional que o PT faz diferença, o Partido, por intermédio dos movimentos sociais, propõe mudanças. É o primeiro partido a, de fato, incentivar a participação feminina na política, instituindo cota obrigatória em todos os níveis de direção, fórmula que, posteriormente, se transformaria em Lei Eleitoral, demonstrando portando sua contundência.

E desta forma que o Partido dos Trabalhares, com sua convicção de ser uma partido de massas, democrático e socialista, em 2002 elege o primeiro operário para presidir a ação brasileira, Lula, que depois foi reeleito em 2006, promovendo as maiores mudanças já vistas pelo povo brasileiro. Com a melhor distribuição de renda e a estabilidade econômica, o governo do PT tirou mais de 30 milhões de pessoas da linha da miséria.

Os erros, que são naturais numa democracia jovem como é a brasileira, ajudaram a amadurecer o Partido e a torna-lo mais assertivo. Mas, sem a menor dúvida, os inúmeros acertos que o PT realizou ao longo dos seus 30 anos, com vontade de continuar nos próximos 30 anos a serviço do povo brasileiro, irão implementar as demais transformações ainda fundamentais para que o Brasil tenha cada vez mais uma sociedade democrática, justa e igualitária.


Sidnei Santos é presidente do PT de Londrina

Um comentário:

Lorena disse...

André, parabéns ao nosso Partido e nossa militância.

Mudando de assunto: tudo sobre o caso Érica no meu blog, ajude a divulgar também para os outros blogs para cobrarmos providências.

Um abraço

www.infocoinloco.blogspot.com

Postagens populares

Pesquisar neste blog