quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vargas avalia eleição, fala sobre estratégias para o segundo turno e seu próximo mandato




Em entrevista o deputado federal André Vargas, reeleito com 151.769 votos, fala sobre as prioridades do seu próximo mandato, avalia como foi o primeiro turno e aponta qual será a estratégia para o segundo turno.


O senhor foi reeleito com mais de 151 mil votos, o que isso representa?

É uma responsabilidade a mais para o trabalho que vamos fazer nos próximos quatro anos. São 151.769 pessoas que confiaram no nosso trabalho. Alguns me perguntam se estou surpreso, não. Eu não estou surpreso eu fiz um planejamento em cima da minha campanha, visitei 132 municípios do Paraná, aqui em Londrina fui a vários bairros, fiz várias reuniões.
Queria agradecer a todos os eleitores, a confiança que recebi deles, agradecer também minha equipe de trabalho, um conjunto de prefeito, vereadores e lideranças que estiveram conosco, confiando no nosso trabalho.

Dos 399 municípios o senhor fez votos em quantos deles?

Estamos apurando ainda os últimos, mas mais de 350 municípios com certeza.  Em praticamente todos os municípios do Paraná nós tivemos pelo menos 1 voto. Isto mostra que nós temos uma representatividade no conjunto do estado. Fiz votos por todas as regiões e isso também foi possível devido à parceria que eu tenho no governo do presidente Lula, onde nós conseguimos viabilizar inúmeros projetos para o Paraná. Fui relator do Minha Casa, Minha Vida e do Projovem, dois projetos de alto alcance social e que as pessoas estão atentas porque são projetos que mexe diretamente com a vida delas. A moradia, claro, com 45 mil moradias sendo construídas no Paraná e o Projovem, que nós vamos priorizar. Aliás meu mandato todo foi muito voltado ao jovem, educação profissional, Universidade Federal Tecnológica, instalada em Londrina e em várias cidades do Paraná, o próprio Projovem que da uma bolsa auxilio de R$ 100 para os adolescentes voltarem a estudar, e que é um projeto que queremos priorizar para rodo País.

O senhor teve 20 mil votos em londrina como avalia esta quantidade?

Em primeiro lugar eu agradeço essas 20 mil pessoas que me contemplaram com seu voto. Estou muito feliz com esta votação. Mas entendo que houve um equívoco nessa eleição, há uma quantidade enorme de votos que foram dados para candidatos de fora de Londrina, lamento inclusive que o próprio prefeito da cidade tenha apoiado um candidato de fora. E candidatos de fora levam nossa representatividade. Se somarmos os três candidatos da cidade, eu, o Alex Canziani e o Hauly, somamos 100 mil votos e os outros 230 mil votos, foram para onde? Quer dizer, vão levar representatividade e força política para outras regiões. Então isso é uma preocupação que eu tenho, acho que poderíamos ter tido uma representatividade maior, que daria mais força para buscarmos projetos para cidade, mas de qualquer forma fico muito grato às pessoas que confiaram em mim, fico grato a minha cidade e vou continuar trabalhando muito por Londrina. 

O próximo governo do Paraná será um governo de oposição, como será o relacionamento de André Vargas e Beto Richa?

Um relacionamento de colaboração, nós não temos a mesma compreensão política, mas nós vamos cobrar, vamos estar vigilante, não aceitaremos a privatização de empresas públicas, não aceitaremos a precarização dos serviços públicos e nem a suspensão de programas sociais como o Leite das Crianças e o Tarifa Social, programas que atendem principalmente à população mais pobre.
Mas não havendo nada disso, nós temos como ajudar o governador a viabilizar recursos a nível federal, seja para obras de infraestrutura, principalmente no interior do estado, porque entendo que a capital está bastante contemplada, quando um prefeito precisar de investir, ele vai contar com nosso apoio.

O senhor é o secretário nacional de Comunicação do PT e também atuou na campanha do 1º turno de Dilma Rouseff. Qual será o segredo para levar Dilma à vitória?

A Dilma fez 47% dos votos. Ela fez em torno de 13, quase 14 pontos a mais que o Serra no primeiro turno. Então primeiro nós queremos consolidar essa diferença e ampliá-la, temos que crescer uns 4 ou 5 pontos para fazer a Dilma vencedora. O Serra teria que crescer 17 ou 18 pontos para chegar ao resultado.
Então nossa estratégia é, primeiro refutar os boatos e a baixaria da reta final de campanha. Foi feito um trabalho muito grande abusando da fé das pessoas, usando questões religiosas para atacar a nossa candidata. A questão do aborto foi relevante, eu sou secretário nacional de Comunicação do PT, um dos dirigentes máximos do partido e sou coordenador da Frente Parlamentar contra Legalização do Aborto. Se o PT perseguisse as pessoas por esta posição, eu não estaria ocupando estes cargos.  Então nós temos compromisso com a vida.
Aliás, quem tem mais compromisso com a vida? Quem faz mais moradias, ou quem não fez nenhuma moradia popular. Compromisso com a vida se traduz em mais moradias, mais programas sociais, mais bolsa família, mais cuidado com a saúde da mulher, como nós temos tido, melhores condições de trabalho, mais emprego, isso é compromisso com a vida. E aqueles que nos atacaram fizeram migrar votos, que poderia nos dar a vitória no primeiro turno, para Marina. Isso não quer dizer que estes votos vão para o Serra, isso quer dizer que o debate agora vai ser um pouco mais franco, mais tranqüilo e nós vamos fazer uma grande mobilização e mostrar, no caso aqui do norte do Paraná, que o governo do presidente Lula investiu R$ 2 bilhões só aqui em Londrina. Então esta reflexão nós queremos levar, inclusive às igrejas, porque há pastores demonstrando boa fé esclarecem os seus fiéis, mas há àqueles que já tem seu candidato e abusam muitas vezes da questão religiosa, para atacar uma candidatura, em favor dos seus interesses.

Em Londrina, Dilma ficou em terceiro lugar. Com tantos investimentos na cidade o londrinense não ficou convencido. Como o senhor avalia isto?

Nós não podemos julgar o eleitor, ele teve uma compreensão no primeiro turno e pode ter outra no segundo turno, quando as idéias ficarem mais claras. Isso vai acontecer.
A Santa Casa, em todo governo do Fernando Henrique a Santa Casa ficou paralisada. Esta é uma instituição católica. O Hospital Evangélico ficou sem nenhum recurso na época do FHC. Foi no governo do presidente Lula que estas duas instituições tiveram atenção. A Santa Casa, nós praticamente estamos fazendo um novo hospital. É o governo do presidente Lula, não é o governo do PSDB, do 45, o governo que o José Serra vai representar, então na prática nós vamos poder mostrar isso no segundo turno. E quebrar essa resistência que se tem.
O que a cidade de Londrina ganha votando no José Serra? Eles já governaram o País.
Hoje nós temos dois ministros a Márcia Lopes e o Paulo Bernardo, portas abertas para Londrina, vale a pena fechar essas portas?
O Hauly, por exemplo, foi líder do Fernando Henrique durante oito anos, ele não conseguiu ser ministro. Por quê? Porque em geral o governo deles é um governo que olha muito a capital paulista.
Enfim, o voto da Marina não é voto do Serra, foi um voto alternativo. E nós queremos discutir com o eleitor da Marina, que acima de tudo o melhor compromisso que se tem com a pessoa humana está na candidatura da Dilma. E ter votado na Marina no primeiro turno não significa ter votado contra este projeto de País que nós estamos construindo juntos, até porque a Marina foi ministra do governo Lula por praticamente 7 anos.

Com vai pautar este novo mandato de deputado federal?

Continuar com a prioridade na educação e na juventude. Habitação é sempre uma prioridade, mas o foco será na juventude. Discussão de programas culturais, novas praças da juventude, que nós queremos construir não só em Londrina, mas em todas as cidades de porte médio, que é uma forma de combater a violência, questão do combate ao uso de drogas, educação tecnológica, formação profissional, este será nosso foco, a juventude.
Mas agora nos temos este trabalho para eleição, pedimos a nossa militância que vá às ruas e esclareça ao público, porque agora ficou claro, que é a volta do Fernando Henrique ou a continuação do governo Lula e todos compromissos sociais que nós temos.
E agradecemos a todos pelo empenho e mais uma vez agradeço os 151 mil votos, que não coisa simples, agradeço muito aos eleitores e agradeço muito à Deus por ter abençoado muito a nossa vida e ao apoio da minha família e agora mais um filho que será muito abençoado.

Nenhum comentário:

Postagens populares

Pesquisar neste blog