segunda-feira, 8 de março de 2010

Joelma, a voz dos paranaenses na Saúde


Uma mulher pobre e trabalhadora do Usina Três Bocas foi à luta, formou-se em Direito e se tornou presidente do Conselho Estadual de Saúde
Londrix.com


Agência Londrix
Joelma Carvalho: exemplo de mulher batalhadora
O início da luta foi no próprio bairro, no patrimônio Usina Três Bocas, em 1998. A londrinense Joelma Aparecida de Souza Carvalho decidiu arregaçar as mangas e agir localmente, lutando por melhorias para a "esquecida zona sul".

O trabalho popular, inicialmente despretensioso, foi crescendo, ganhando corpo e ela se tornou um símbolo da luta popular. Joelma preside, desde o último dia 25 de fevereiro, o Conselho Estadual de Saúde do Paraná: é a voz dos paranaenses nas discussões das grandes demandas nesta área no Estado.

Graduada em Direito, com muito sacrifício, hoje a militante senta-se ao lado das lideranças e autoridades do Estado, como o Secretário de Saúde, para discutir a execução do plano estadual. É a legítima porta-voz das demandas da população paranaense nesta área, sempre crítica e com pleitos prementes.

E ela garante: o trabalho popular tem grande força para a conquista de avanços sociais. "Quando a representatividade é legítima, acaba respeitada pelas autoridades e os resultados aparecem", afirma.

Joelma explica que a função do Conselho é fiscalizar as ações do Estado, principalmente no que se refere ao cumprimento do Plano Estadual de Saúde, definido em grandes conferências realizadas a cada dois anos. "Também temos o poder de tomar decisões, deliberar ações e, para este trabalho, contamos de forma muito efetiva com o apoio do Ministério Público", explica.

Vitória

Após atuar como presidente do Conselho de Saúde da Região de Londrina (Consul), Joelma credenciou-se à disputa pelo comando do Conselho Estadual, função já exercida entre 2004 e 2005. E obteve, para o exercício do mandato entre 2010 e 2011, os votos dos 36 conselheiros titulares que integram a entidade, representando trabalhadores do setor, usuários, prestadores (como hospitais e serviços conveniados) e o Poder Público. Não houve abstenção e nem voto contrário.

Integrante da Central de Movimentos Populares (CMP), Joelma é uma defensora intransigente da militância popular. Ela se recorda que, em 2004, graças à luta levada adiante pelo Conselho Estadual, foi possível garantir a aprovação de uma emenda orçamentária (a EC 29) que definia quanto do orçamento dos Municípios e Estado deveria ser destinado à saúde. "Foi uma luta bem sucedida. O índice foi fixado em 12% após muitas discussões e idas à Assembléia Legislativa para convencer os deputados da importância da medida", lembra.

know-how na militância popular já levou Joelma a países como Nicarágua, Peru e Colômbia. Ela participou des conferências em que apresentou o modo de organização paranaense e de representação popular. Nos próximos doze meses, a moradora da zona sul que decidiu deixar a "zona de conforto" para brigar por conquistas para seu bairro terá um desafio muito além do "Três Bocas".

Nenhum comentário:

Postagens populares

Pesquisar neste blog