quarta-feira, 10 de junho de 2009

QUALIDADE DO JORNALISMO NACIONAL, SINAL DE ALERTA




“o jornalista não é um opinador público ou o portador de um uma espécie de registro que supostamente lhe daria o mandato, exclusivo, para opinar. Ao contrário, por dever ético e eficácia técnica, o jornalista não manifesta seu pensamento no exercício profissional”.

“O jornalismo moderno, porém, é o jornalismo informativo, e seu produto por excelência é a notícia, mais complexa ética e tecnicamente de ser trabalhada. As notícias de qualidade, obra de profissionais capacitados, são essenciais para a vida democrática, pois contribuem para, entre tantas outras coisas, a própria formação da opinião fundamentada.”

Trechos da Carta aberta do FNPJ aos ministros do STF


Hoje a Suprema Corte Brasileira julga o Recurso Extraordinário 511961, infelizmente 6 dos 11 ministros já manifestaram em outras oportunidades a simpatia pela não obrigatoriedade do diploma universitário para exercício da profissão de Jornalista. Se essa conjuntura for a verdadeira a qualidade do jornalismo brasileiro sofrera um ataque irreversível. Se esta tragédia acontecer hoje no supremo a condição de jornalista não será mais definida pelas universidades e sim pelas empresas. Se hoje já ‘e uma luta para que o piso da categoria seja respeitado, com a decisão do STF vai ser difícil alguém viver apenas do jornalismo. Já que as empresas de comunicação pagaram qualquer um para escrever. Vamos torcer para que essa historia de jornalista sem diploma seja enterrada.

Nenhum comentário:

Postagens populares

Pesquisar neste blog