sexta-feira, 8 de maio de 2009

Entrevista :Zé Dirceu fala sobre "mensalão" e seu futuro político

André Guimarães: Zé , O Senhor foi retirado do processo que investiga o suposto "mensalão", mesmo sem provas o senhor foi "massacrado" pela mídia. Agora depois deste "cala a boca" a muitos jornais e revistas o senhor vai lutar para reaver seus direitos políticos, para que já em 2010 o povo de São Paulo possa votar novamente no Sr. para algum cargo eletivo?



Zé Dirceu : Você se refere aos processos recentemente arquivados pela Justiça Federal. Fui acusado pelo MPF de improbidade administrativa e tráfico de influência. Em novembro do ano passado, a Justiça Federal arquivou o primeiro processo e, recentemente, o mesmo aconteceu tanto com o da 9ª Vara Justiça Federal quanto com o da 15ª Vara Federal de Brasília.

As acusações que envolviam meu nome e a de meu filho, Zeca Dirceu, prefeito reeleito de Cruzeiro D'Oeste, foram arquivadas porque eram insustentáveis. Hoje, a sociedade brasileira pode comprovar a sentença dos juízes: não existia base legal nas acusações contra meu filho e contra mim. Não existiam provas. É por isso que sempre digo, eu não temo o julgamento. Pelo contrário, quero ser julgado porque sou inocente de todas as acusações que me fazem. E quero esclarecer à sociedade brasileira que nunca fui chefe de quadrilha, como quiseram e querem me tornar alguns setores da mídia e da política brasileira.

Eu sempre pude pedir a anistia. Tenho direito a este recurso porque fui cassado sem provas pela Câmara dos Deputados. A Constituição me garante a verdade, a presunção da inocência, a não culpabilidade, que a imprensa me nega, manchando meu nome, envolvendo-me em escândalos estapafúrdios sem a menor prova. Sobre o pedido da anistia, ainda estou analisando, mas repito, a despeito dessa possibilidade, quero ser julgado o mais rápido possível.


Parte da entrevista concedida pelo Ex ministro, Zé Dirceu, para o Blog Ideia Certa em Fevereiro de 2009

Nenhum comentário:

Postagens populares

Pesquisar neste blog