terça-feira, 21 de abril de 2009

Transcrição na integra do vídeo postado no youtube sobre o caso Barbosa/Luciano


Quem tiver paciência de ler, aqui esta postado a transcrição na integra do áudio encontrado no vídeo acima. Para quem não sabe este vídeo foi gravado pelo Atual Prefeito de Londrina, na casa do Deputado Alex Canziani. Ele retrata o momento antes da prisão do ex- braço direito de Barbosa. Leia e tire sua própria conclusão, é longo mais quem gosta de política vai gostar.

obs. o vídeo ai de cima é um pedaço da gravação, já o texto corresponde a integra que esta exposto no processo que tramita no STF.


Barbosa: Oi. O Luciano já chegou?

Mulher: ### (ruído) ###

Telefone toca...
Barbosa: Alô. Ta. Depois eu te ligo.

Luciano: O Alex mandou eu vir correndo.

Barbosa: O Hélio tu acha que também vai vir?

3’
Barbosa: To com o bolso cheio

Barbosa: Dez mil. O que você achou.

Luciano: Não... não...
Barbosa: Uê. O Alex mandou agente vir conversar.

Barbosa: Pô. Faltou conversa entre nós Luciano. Não sei o que foi. Não sei se foi a Ana Laura?!

Luciano: Ah. Uma parte... ### (ruído) ###

Barbosa: Pô. Eu quero ter uma forma de me redimir com você.

Luciano: Não. Eu acho que ta tudo certo com você.

Barbosa: Não eu sei
Hélio: Uê. Vocês não trabalham não?!?!

Hélio: O Luciano, você tava parecendo terrorista.

Luciano: Eu tava na academia. O Alex ligou: vem rápido. Ai agente chega aqui ele não ta!
Hélio: É que chegou uns prefeito lá da região.

Barbosa: Comendo a minha maçazinha aqui, por que se não eu não paro em pé.
Luciano: Sarou a perna.
Hélio: Sarou não.
Hélio: Bati o carro de novo Barbosa.

Barbosa: De novo Hélio?
Hélio: Tava vindo de Joinvile. Eu vinha de avião, mas ai fechou o tempo sexta-feira. Ai eu tava com um cara que falou, eu mando meu motorista te levar até Curitiba e de lá você pega um avião.

- Ai saímos de lá, uma chuva, o motorista dirigindo e uma carreta caiu uns negócio no chão.
Barbosa: Hum, pelo amor de DEUS.

Hélio: Ai a Carreta brecou eu fui em baixo da carreta.

Barbosa: Não acredito.
Hélio: Tava o motorista e mais duas pessoas comigo, mas ninguém se machucou grave. Só o motorista por causa do air bag, ficou tudo roxo aqui assim.
Barbosa: Pelo amor de DEUS.

Barbosa: Você tem que agradecer a DEUS hein!?!? Duas hein!?!?

Hélio: E agora eu to indo com o Alex, na sexta-feira, para Foz, Cascavel, Guarapuava e Ponta Grossa.

Barbosa: Com carro?
Hélio : Não de avião
Barbosa: Mas viu? Eu queria. Tava falando aqui com o Luciano

Luciano: Acho que o deputado trouxe uma coisa aqui para você.

Hélio: Para mim ele não trouxe nada.

Luciano: vocês querem me botar numa fria.

Barbosa. Ninguém precisa falar disto.

Hélio: Bom o Alex ta chegando ai.

Barbosa: E o que ele falar eu vou cumprir.

Barbosa: Eu quero viu Luciano. Eu quero cumprir depois.

6’
Luciano: Não tem isso.

Barbosa: Viu? Vem cá. Eu queria que você se você pudesse me prestasse um tipo de consultoria. O Alex me falou que você fez umas análises.

Barbosa: Nós nos reunimos. Você fala com o Alex, o Alex fala com o Hélio.

Luciano: Você tem assim uma grandeza que são as pessoas que andam com você.
Barbosa: Eu sei uê.
Luciano: Não é assim. Um quadro negro que você risca com giz, depois apaga.
Barbosa: Eu sei que não é. Mas nós vamos ter oportunidade de defesa.

Luciano: Eu não tenho dúvida.
Barbosa: Não é... Eu não quero que você volte atrás em nada. Você agiu pelos teus motivos, depois o Alex me falou.

- Eu também agi por impulso. Eu sou um cara impulsivo, você sabe como eu sou. Você me ajudou muito. Você me segurou, mas você também tem hora que pô. Vamos falar a verdade. É ou não é?

Luciano: Eu sei que sou.
Barbosa: Então, mas você é um cara extremamente inteligente. Então eu quero ficar numa boa com você. Por que o que é bom para você é bom para mim. E eu vou cumprir aquilo que o Alex falou. Não precisamos entrar em detalhes.
Luciano: eu não sei o que o Alex falou com o senhor, mas não tem nada. Eu até falei pro Alex, não tem porque o senhor insistir em conversar por que da minha parte ta tudo bem.

Barbosa: Claro que ta tudo bem. Eu queria até saber. Pô, sei lá eu fiquei te devendo tanta coisa assim e não sabia?!

- Por que você gravou tanta coisa assim, eu não sabia. Você já tava de caso pensado?!
Luciano: Não. Não é caso pensado. É que eu sou uma pessoa que analisa as situações, analisa as pessoas, as circunstâncias. Olha quantos anos eu fiquei com o Alex?
Barbosa: Pô você entrou na minha casa. E pode entrar de novo. Agora eu não sei o que aconteceu. Foi a Ana Laura? Fui eu?

Luciano: Então, até hoje acontece que.

Barbosa: Lembra que você se demitiu?! Você mandou um torpedo.

Luciano: Ta aqui. Até quero que você leia aqui e veja se é demissão.

Barbosa: Não você falou: Então eu vou procurar outro.

Luciano: Ta aqui. Dia 19 de fevereiro.

9’
Barbosa: Exatamente. Eu tava de cabeça quente. Foi uma questão de sei lá o que.
Luciano: Ta aqui ô. 22:46, se o senhor quiser ler.

Barbosa: Por favor, não tente descontar em mim seus pesadelos e frustrações. Pare e faça um análise profunda de tudo que ocorreu ao seu redor e se o problema for eu, PT Saudações.

Luciano: então, o senhor julgou que era eu. Ai eu tinha manda outra mensagem. Por que essa acho que foi até a primeira mensagem que eu mandei.

Barbosa: Arruma dinheiro e gente competente, que a minha parte eu faço como sempre fiz de maneira eficiente, mas milagre eu não faço. Ainda que sabe, o senhor pode me ajudar nesse.

Luciano: Essa foi a primeira mensagem que eu mandei. Porque isso. Por que o senhor tava pedindo outdoor, jornal, uma série de coisas que não tinha como. Da maneira que o senhor queria fazer, assim ### (ruído) ###

Telefone toca...
Barbosa: Alô. O Edurado posso te ligar daqui a pouco? Eu te ligo neste número ok?! Obrigado.
### (ruído) ###
Barbosa: Não tinha, não tinha nenhuma Luciano. Tanto é que, eu sou um cara se o cara pediu, eu entendi que você tava pedindo demissão pô!

### (ruído) ###
Barbosa: Eu vendo depois eu sou obrigado até a te dar razão.

### (ruído) ###
Barbosa: Mas viu. O que Noé podemos fazer.

Luciano: Não tem o que fazer.
Barbosa: Eu vou participar de um debate, por isso eu to até assim, eu tava gravando, mas viu, eu queria restabelecer ### (ruído) ###

Barbosa: eu sei, nós estamos fazendo parte de um projeto grande. Não sei se vamos ganhar a eleição, mas temos que combinar com o povo néh!? E você é peça fundamental. Não só pelo que você tem; do arsenal que você falou que tem.
Luciano: eu não tenho nada.
Barbosa: então tudo bem, vai pela tua...

Luciano: eu tenho DEUS no coração.
12’
Barbosa: Eu também tenho. Você sabe que eu tenho.

Luciano: Minha única arma é DEUS.

Barbosa: Você sabe que eu não sou maldoso. Sabe ou não?

Luciano: Não sei. O senhor não foi chamado no terceiro distrito. Eu fui.

Barbosa: Você foi lá pegar o coitado do Rogério.

Luciano: Tudo bem, daí isso virou um processo na promotoria.

Barbosa: Então?! Um cara dependente de droga, numa situação em que você falava que tinha tanta pena dele.
Luciano: Não, eu tinha ainda, mais vezes ainda.

Barbosa: Bom eu não acompanhei nada.

Luciano: Tudo bem.
Barbosa: Luciano, tudo se resolve. Até eu e você. Por isso que eu to aqui. Eu estou disposto a cumprir o acordo néh!?

Telefone toca...
Luciano: Não sei o que o senhor chama de acordo. Pra mim isso não tem.

Barbosa: Esses “R$ 250 mil”, eu vou honrar. Eu vou honrar com você. Hoje eu fui pego desprevinido
Luciano: Não to falando em dinheiro, eu não to falando de nada disso

Barbosa: Só que o que eu trouxe aqui hoje.

Luciano: Não sei porque o senhor trouxe isso que você falou. Não sei o que você falou com o Alex com relação a isso. Eu vim para conversar. Ele disse que o senhor queria falar comigo, eu to aqui.

Barbosa: então não tem esse acordo.

Luciano: Eu não sei nada disso.
Barbosa: Então vamos esperar ele chegar. Daí ele fala na sua frente.

Luciano: O senhor da minha parte eu não vejo problemas.

Barbosa: Mas e estas fitas que você tem e que vai vender para os outros.

Luciano: Que fitas?
Barbosa: Ué. Você mostrou para o Hélio. O Hélio viu isso.

Luciano: O Hélio deve estar bebendo então.

Barbosa: Mas eu não quero que você mostre para mim.

Luciano: Eu não tenho nada para mostrar.

15’
Barbosa: Então o Alex falou uma coisa.

Luciano: Você tem é que pedir votos.

Barbosa: Não eu quero falar com você. Eu quero que agente resolva esta cituação.
Luciano: Por mim já está resolvido. A grande controvérsia na minha cabeça era saber o porquê e se o senhor ta dizendo.

Barbosa: Então?! É isso aqui.
Luciano: Então ta bom.
Barbosa: Eu entendi desta forma.
### (ruído) ###
Barbosa: Mauá da Serra e nos bairros?!

Luciano: Não ta chegando nos bairro.

Barbosa: Eu você falou isso para o Alex.

Luciano: Não. Falei que o senhor deve andar. O senhor deve estar constatando isso néh !?
Barsosa: Do Hauly já chegou. Do André.

Luciano: Do Cheida! Ta sendo infinitamente mais fraco do que tradicionalmente tem no desempenho.
-Acho estranho o senhor que gosta de jornal. Não sei se o senhor tem ou não.
Barbosa: Quando você tava lá tinha não é?!

Luciano: Tinha porque o senhor queria. Agora é ruim.

Barbosa: Ta. O que nós podemos fazer para recuperar isso ai?

Luciano: Recuperar não tem. Eu acho assim, se for uma coisa uma coisa dura de ambas as partes.
Barbosa: Não. Eu to pagando, vou pagar, vou ter que responder.

Luciano: Principalmente para mim, da minha parte. Agora foram uma série de coisas que me condicionaram a isso.

Barbosa: então, vamos falar disso.

Luciano: não, o senhor nunca quis falar comigo.

Barbosa: Pô. Você ligou me ameaçando: “Você vai ver as conseqüências”.
Luciano: Não eu falei: Eu tenho carro para pagar, eu tenho conta para pagar. Se lembra o que você falou para mim?

18’
Barbosa: O que eu falei?
Luciano: Se vira. Falou assim: “Pensasse antes”.

Barbosa: Eu acho que você ganhou bem mais fazendo isso. Bem mais você de ter ganho.
Luciano: eu não ganhei nada.
Barbosa: Não ganhou.
Luciano: Não preciso só de dinheiro. Minha motivação é outra. Eu tenho uma vida humilde que eu sempre levei e vou continuar levando

Barbosa: Agora eu não entendi uma coisa. Tem uma parte que diz que eu peguei 300 pau do João Graça para nomear ele no ministério do trabalho.

Luciano: Tem tanta coisa disso. Acho que na internet tem isso.

Barbosa: Mas da onde?
Luciano: Eu não sei. Ta na internet!

Barbosa: Não foi isso. Eu fui fazer um empréstimo com o João Graça. Tem o sócio dele junto eu tenho o contrato pagando caro.

Luciano: Então isso o senhor tem que dar uma resposta e não para mim.

Barbosa: Exatamente
Luciano: Satisfação eu não preciso nenhuma. Agora isso é de domínio público. Ta na internet, fazer o que?

Barbosa: Ta na internet isso? Você pôs na internet?

Luciano: Eu não. Não tenho nada daqui. Minha capacidade não é assim.

Barbosa: É sim. Sua capacidade faz muita coisa.

Luciano: Acho que independente de qualquer coisa o senhor vai vencer.

Barbosa: Não. Vou nada.
Luciano: Vai.
Barbosa: Precisamos ganhar. Isso é dia 5 de outubro. Preciso que você esteja comigo, que você fale para mim o que está acontecendo entre nós. Ou quem é que está faszendo mas coisa mais contra mim que você sabe.
Luciano: Tem tanta gente. Quem quer que o Barbosa ganhe?

Barbosa: Ninguém quer.
Luciano: Então?
Barbosa: Os quatro não querem.
Luciano: Os oito não querem.
Barbosa: Os oito é lógico, mas os quatro é que tão mais fazendo força.

Luciano: Todos fazem força néh?

Barbosa: Mas é que fez esse?
Luciano: Eu fiz!
Barbosa: Mas, e os outros? Que está por trás?

Luciano: Não tem ninguém por trás.

Barbosa: E o Amauri?!
Luciano: O Amauri é folclórico na política.

Barbosa: Só folclórico?
Luciano: Eu acho engraçado, tudo é cria do Amauri. Agora que eu vou tomar o lugar dele néh!?
Barbosa: Pois é. Se o Amauri é aprendiz de feiticeiro, você mostrou que é feiticeiro.
Luciano: Ele é o feiticeiro, eu sou o cover.

Barbosa: Não Luciano, você sabe que você é bom.

Luciano: A maldade ta lá. Ele é...

Barbosa: Você sabe que não precisa de confete, você é um cara inteligente. Um cara ponderado.
Luciano: Se eu fosse inteligente não estaria nesta situação. Aplaudido por uma meia dúzia, odiado por centenas e incompreendido por milhares

Barbosa: Mas da para gente recompor isso ai. Eu não sei o que você pensa, qual é a sua intenção. Se você falar assim: “Eu não quero que você ganhe, eu quero te destruir”.

Luciano: Acabei de falar aqui que o senhor tem plenas condições.

Barbosa: Mas o que eu faço para ter você, com compromisso ter você como consultor, depois na prefeitura?

Luciano: É difícil. È igual ex-mulher. Você já viu ex-mulher da certo com marido? Não tem jeito.
- Eu repito, foram coisas duras de todos os lados. Cada um mostrou as armas que tem. E o senhor infinitamente muito mais.

Barbosa: Não o que é isso?

Luciano: Embora assim, agente se vire com o que pode.

Barbosa: Não você quem bateu. Eu só me defendi. Você sabe disso.

21’
Luciano: A vida é assim.
Barbosa: Nem bati. Eu só me protegi e tentei não descuidar. Não quis em nenhum momento, inclusive vi gente ai querendo fazer besteira e eu disse não é por ai. Não sou, sou contra a violência, contra qualquer coisa.
Luciano: Se tivesse feito isso imagina o que ia acontecer? Agora isso ai eu não sei quanto tempo vai.
Barbosa: Eu quero, eu quero reparar as coisas com você.

Luciano: Isso já está devidamente reparado, em todos os aspectos. Agora só quero que o senhor se preocupe com a sua campanha e deixe as coisas acontecerem.
Barbosa: Não eu to preocupado com o que vem contra mim. Com o que você tem de canha contra mim.
Luciano: Eu não tenho nada.
Barbosa: Claro que tem.
Luciano: O canhão é o povo. Ele é quem vai decidir.

Barbosa: Não você com essas fitas ai. O negócio de um garoto de Porto Alegre.
Luciano: eu não tenho nada. Não sei porque o senhor insiste nisso. Eu estou sendo franco aqui falando com o senhor.

Barbosa: Eu quero de dar aos poucos. O que eu tinha hoje era isso, mas até o dia da eleição do primeiro turno o valor correto.

Luciano: Voe não entendeu. Não é o aspecto financeiro. É o aspecto moral.
Barbosa: Mas o Alex falou para eu vir aqui. Eu vim que nem louco. Catei o que tinha...
Luciano: Eu tava na academia ele me ligou e disse: “Vá na minha casa em vinte minutos”, eu vim, mas ele nem ta aqui. É isso, as coisa não se resolvem dessa forma.
- Eu acho assim e repito, ta bem encaminhado para o senhor vencer.

Barbosa: Eu quero que você esteja comigo.

Luciano: Agora evidente. Eu só constatei para o Alex, algumas situações que qualquer um vê.
Barbosa: Ele me falou. Está bem latente isso. Da para ver, qualquer um enxerga isso.
Luciano: O descontrole de informações.
Barbosa: Tem espionagem lá dentro também?

Luciano: Sim.
Barbosa: Quem é?
Luciano: Não sei, mas só relento de campanha. Eu to dizendo, controlar tudo numa campanha é muito difícil.

Barbosa: Mas é informante.
Luciano: Tem certas coisas que a pessoa não pode falar. Tipo assim, e-mail.
Barbosa: Cópia de e-mail?
Luciano: Sim
Barbosa: Lá dentro do comitê?
Luciano: É. E é mandado para outro.

24’
Barbosa: Lá dentro tem gente contando as coisas que agente vai fazer?

Luciano: Quando sai pesquisa. Quando tem reunião. Isso é terrível.

Barbosa: É brincadeira essas coisas.

Luciano. O senhor já deve ter percebido isso, mas nos outros comitês também só que menos.
Barbosa: eu da minha parte não vou atrás disso.

Luciano: Mas os outros vão né? Tem gente que faz de tudo pra te derrubar

Barbosa: PT faz isso. É mestre nisso

Barbosa: E ai, o que você fez nesse tempo todo ai?

Luciano: Engordei quase cem quilos, mas agora estou recuperando. Minha família sofre muito.
Barbosa: A família sempre sofre.

Luciano: O e senhor vai em debate e não se prepara para o debate?

Barbosa: Tava querendo falar com você hoje.

Luciano: É o pior esse da reta final né?!

Barbosa: É.
Hélio: Ele saiu de lá. Ta vindo já. (Alex)

Barbosa: Ah é?

Hélio: Mas quando o senhor quiser ir pode ir.

Barbosa: Não eu vou esperar ele.

Hélio: Correria néh?! Ele tava saindo e dois prefeitos descobriram que ele tava lá. E a campanha como está?

Barbosa: Estamos ai nessa loucura.
27’
Hélio: E o povo lá... ### (ruído) ###

Luciano: Eu não sei, sábado eu falei com o Alex. Eu fui recolher ### (ruído) ###
Barbosa: As reportagens do Correio Braziliense.

Hélio: ### (ruído) ###
Luciano: Você é suspeito para falar.

### (ruído) ###
Hélio: ### (ruído) ###
Barbosa: O que você ta achando do nosso programa de governo, do nosso programa de TV?
Luciano: Eu acho bom, agora os teus começaram a detalhar as propostas. Só ficar falando que vai fazer não dá mais. Mas falta criança, falta jovem principalmente e idoso.

Hélio: O Hauly ta colocando muito japonês, negro, mas o discurso dele é muito elitista ainda.
Luciano: Já apelou já.
Barbosa: Mas hoje os programas estão melhores.

Hélio: Mas o pior dos programas é o do André Vargas.

Barbosa: É.
30’
Telefone toca...
33’
Conversas paralelas em importência
36’
Hélio: Só uma pessoa pode ganhar do Barbosa.

Barbosa: O Luciano. Mas ele disse que não tem mais nada.

Hélio: O Barbosa arruma emprego lá no ministério do trabalho.

Luciano: Eu só digo uma coisa. Tem trê disputando essa eleição. O Belinati ta no segundo turno e tem o Hauly e o Barbosa.

Barbosa: O Cheida você acha que não vai?

Luciano: Esse atrapalha o Hauly.
Hélio: So que em compensação o André atrapalha o Barbosa

### (ruído) ###
39’
Barbosa: Mas o PFL ia vir comigo, se não sai aquela matéria sua. A minha convenção foi dia 21, a matéria dia 28, no dia deles.

Luciano: Não foi dia 29.
Barbosa: A matéria?
Luciano: Não a sua convenção
Barbosa: Não a minha convenção foi dia 21.

Luciano: Dia 21 você deu aquela festança ai você prorroga.

Barbosa: Mas dia 29 foi o PFL que podia ter vindo comigo. Não veio porque você deu uma forcinha.
Luciano: Mas há males que vem para o bem. Você tem que analisar por este prima.
Barbosa: eu acho que o apoio do Democratas ia ser pesado para mim.

Luciano: Uma coisa totalmente fora.

Barbosa: Ficou uma coligação Heterogênea. Quer dizer, Homogênea. A única que eu acho que ficou. Acho que tem fundamento ideológico. A do PT...

Luciano: Essa daí é carta fora do baralho.

Barbosa: É.

Luciano: Olha essa eleição vai ganhar quem errar menos. Então vendo por essa ótica.
42’
Barbosa: Chegou o homem.
Alex: E ai?
Luciano: Agente conversou bastante:
Alex: Qual é a conversa?
Barbosa: eu chamei ele para vir com a gente, peguei uns conselhos.

Alex: E o que você falou do negócio do debate?

Luciano: Ah, isso é dia 28. Porque a Paiquerê vai transmitir?

Alex: Isso ta com cara de armação. O André não vai e vão querer te moer lá.

Luciano: Só que o que vale mais? Não ir e mostrar que tem medo ou ir e?

45’
### (ruído) ###
Luciano: Então daqui para frente é o fim para sete.

Barbosa: Por quê?
Luciano: Porque o 2º turno é só para dois.

### (ruído) ###
Barbosa: Mas o Luciano, quem é que ta te.... Ele não fala nada.

Luciano: Ninguém.
Barbosa: Eu falei para ele que eu tenho ### (ruído) ###

### (ruído) ###
Luciano: Agora o senhor teve sorte em vários em vários momentos.

Barbosa: Quando?
Luciano: De não aceitar uma Bandeirantes nacional e ficar em nada.

Telefone toca...
### (ruído) ###
48’
Luciano: O Barbosa está numa situação confortabilíssima.

Barbosa: Eu já falei para ele: “Eu quero você como consultor. Eu quero você depois”.
Luciano: Ele veio aqui para mim com uma sacola e eu não entendo.

Barbosa: Não é uma sacola. Isso aqui é uma parte. Eu vou cumprir. Eu vou cumprir. Não precisa falar de .....

Alex: Não vamos falar disso. Isso ai é outro assunto.

Luciano: eu já falei que tudo foi duríssimo de ambas as partes. ### (ruído) ###
Barbosa: O loco!
Luciano: Eu estou sendo extremamente sincero. Já falei sobre vários assuntos, agora reparar um erro eu não posso. Mas o que eu proponho ao senhor? Que o senhor vença por méritos próprios.

Telefone toca...
Alex: Mas ele vai para o debate e agente vai ficar conversando.

Luciano: Agora eu vou ser franco e sincero. Barbosa, você ta gravando isso?

Barbosa: Eu não to gravando.
### (ruído) ###
Luciano: Eu só quero dizer o seguinte. Eu falei com o Alex, conversar, tudo bem é algo que nós estamos fazendo aqui. Agora eu querer algo mais é uma coisa que não tem.

Alex: Veja Luciano ### (ruído) ###

51’
Barbosa: Mas deixa eu falar Luciano. É, não dá para estabelecer como conversa, porque eu to desarmado sabe.

Luciano: eu também to.
Barbosa: Eu estou vindo aqui falar com você, sabe pedir desculpa para ele, ele mostrou o torpedo que ele mandou, foi um momento sei lá e eu falei para ele e já tinha falado para você, eu quero o Luciano com agente. É um cara para os projetos futuros.

Luciano: O Negócio é o seguinte. Da conversa que eu tive com o Alez, que eu tive com o Hélio, para frente...
Barbosa: Mas conversa comigo, eles tão aqui, estamos na casa do Alex, você respeita o Alex, você é amigo do Hélio .

Luciano: Mas ai nós temos que nos remeter ao passado presente. O quer houve entre nós eu já disse. Eu to me garantindo, o senhor eu mão sei, mas o Alex eu sei que ele faz isso, nós já conversamos ene, mas agora eu não sei. Vou saber.

Barbosa: Eu também não sei. Você fez um vídeo eu não sei fazer. Apesar de ser da área de tecnologia, o que eu tenho no bolso, dois celulares e mais nada. Agora o que eu queria, sei lá. Eu queria ter uma parceria.

- Eu vim aqui por quê? Primeiro por que eu queria mostrar para você que nós podemos estar juntos.
Luciano: Nesse momento não mais.

Barbosa: Mas você não pode ficar como um consultor?

Alex: Eu acho que agente poderia ### (ruído) ###

Barbosa: Pois é. Isso!
54’
Luciano: Eu vou citar um nome aqui: Roberto Coutinho. Todas as informações que ele participa, ele passa. Porque ele faz isso? Por causa daquele episódio da delegacia do trabalho.

Barbosa: Pó, o cara que mais defendeu ele fui eu.

Luciano: Tudo bem, mas a interpretação dele é diferente.

57’
Luciano: Toda coligação tem um partido pequeno para bater.

Hélio: E se agente for para os laranjas? Antecipar o negócio.

Luciano: É
Barbosa: Eu vou ter que sair.
Hélio: Tem um debate néh?!
Barbosa: Eu tenho.
Alex: Mas vem cá, onde que é o debate?

Barbosa: No Zaquias de Melo. Sete horas eu tinha que estar lá.

Alex: Sobre o que é?
Barbosa: Cultura. Nem sei o que eu vou falar.

Luciano: Se prepara para o do dia 28.

Barbosa: Luciano, da minha parte, eu reitero tudo que eu te falei, não tenho nada contra, quero estabelecer uma nova relação. Você ai de você.
Luciano: Não, tenho motivos para querer fazer qualquer outra coisa. Até falei para o Alex, o Geraldo Alkmin disse que a diferença do remédio e do veneno é a dose.
Barbosa: Mas então, voltando a conversar, você conversa com o Alex, com o Hélio como é que é?
Luciano: Eu acho o seguinte Barbosa. Só se preocupa com a tua campanha.

Barbosa: É o que eu to tentando fazer.

Luciano: Eu acho assim. Se preocupa, como eu acho que o senhor sempre fez na sua curta trajetória política, se preocupa com a campanha e deixa os outros. Do outro lado tem bastante gente, mas do senhor também tem.

Terceiro: Mas eu acho que nós temos que se preocupar com esta questão dos laranjas. Acho que deveríamos chamar os caras para conversa.

### (trecho que não dá para utilizar, com muitos ruídos e assuntos paralelos) ###
Barbosa: Não vai virar tudo contra mim

Luciano: Não eu acho assim: Tem como arrumar tudo isso

Barbosa: O doutor, você vai viajar amanhã ou não?

### (trecho que não dá para utilizar, com muitos ruídos) ###

Barbosa: Ele não ta falando nada com nada

Alex: Ele acha que você ta gravando alguma coisa.

Barbosa: Mas ele vai levar o dinheiro?

Alex: Deixa que eu falo com ele.

Barbosa: Mas ele vai levar o dinheiro?

Alex: Acho que vai. Eu vou falar com ele.

Barbosa: Mas o que ele falou?

Alex: Não que ele quer até dez mil (ruído)

Barbosa: Duzentos pau

Alex: Não! Eu tenho. Olha dá quinhentos. O senhor põe isto na minha conta ta?!

Barbosa: Agora faz ele levar o dinheiro

Alex: Deixa que eu converso com ele.

Barbosa: Ele vai levar?

Alex: Acho que sim, vamos ver. Depois eu te falo: Oh, a encomenda chegou!
Barbosa: Só uma coisa que eu peço para você. Segura ele, faz ele levar. Faz isso. É um pedido que eu te faço

Alex: Vamos ver.

Barbosa: Tchau Alex.

Alex: Tchau.

Um comentário:

Anônimo disse...

Fiquei surpreso. Não tinha idéia do caso. Ele ofereceu um cargo para o cara em troca do silêncio e do amor para sempre. Deputado federal fez isso e como prefeito. Salvem-se.

Postagens populares

Pesquisar neste blog